quarta-feira, 27 de julho de 2011

Cada vez menos. Cada vez a valer menos...

Este nosso país anda a dois ritmos. O ritmo do interior (cada vez mais esquecido e ostracizado, como referia o CREDO) e o ritmo do litoral, a engordar com a debandada de gente de um lado para o outro em busca de trabalho e melhores condições de vida.

Veja-se o caso da educação como exemplo daquilo que referi acima. Para um jovem casal a viver numa cidade do litoral, colocar os filhos no ensino pré escolar é um verdadeiro inferno de listas de espera porque o ensino público não tem vagas em número suficiente, obrigando-os a recorrer ao ensino privado, pagando verdadeiras fortunas para ter as crianças em colégios e ATLs.

Já para um jovem casal a viver numa aldeia do interior, a mesma vaga é garantida, mas de ano para ano diminuem o número de salas disponíveis nas escolas, por falta de crianças, colocando as que ainda existem em situações de desvantagem ao estarem inseridos em grupos demasiado grandes ou à moda antiga, já no ensino básico, juntando na mesma sala e com o mesmo professor, níveis diferentes (por exemplo, 1º e 2º ano).

Deviam duas situações opostas ser geridas da mesma forma? Não!

Mas é verdade é que são, diz a lei e é para cumprir, sendo o principal (e único) desígnio o económico.
Sim, a constituição de turmas, no nosso país, gere-se à cabeça. Se não há cabeças em número suficiente, fecha-se a sala e está feito.
Pouco sentido fará então, o texto e as razões que (ano após ano) a Associação de Pais do Concelho de Marvão envia para a DREA, em Évora, tentando travar o que cada vez mais, é uma certeza. No entanto, para que conste, aqui fica:

Exmo. Sr. Professor Director

Porque sempre se manifestou sensível e preocupado com as questões de justiça social e igualdade de oportunidades, tendo inclusive no passado reunido com esta Associação de Pais, para debater os problemas do Agrupamento de Escolas de Marvão, solicitamos mais uma vez a sua atenção para a questão da manutenção da sala do jardim de infância (pré 4) da EBI Dr. Manuel Magro Machado em Santo António das Areias. Como V. Exa. bem se recordará, a Associação de Pais do Concelho de Marvão sempre esteve atenta e interessada na manutenção das salas de aula existentes, por acreditar que é a solução que mais beneficia os nossos educandos, garantindo-lhes um ensino de qualidade e melhores oportunidades futuras. Assim, e porque estamos preocupados com a possibilidade do número de crianças inscritas no referido Jardim de Infância, ficar no limiar do disposto pela lei para subdivisão em dois grupos não queremos deixar de referir alguns aspectos:

- A sala 4 foi criada há 2 anos e integrada na EBI Dr. Manuel Magro Machado há 1 ano e não fará qualquer sentido, uma vez que está montada, encerra-la;

- A sala 4 foi bem apetrechada com material lúdico e educativo, com contributos da educadora, pais e das outras salas do próprio agrupamento, num empenho colectivo de realce;

- Para se montar a referida sala, a Escola contou com o apoio e envolvimento muito efectivo da Associação de Pais e do Município;

- O Município, como aliás está disposto pela lei, sempre assegurou o apoio necessário, quer na alimentação ou transporte ou colocação do pessoal auxiliar;

- O facto de se tratar de uma comunidade rural e dispersa, com famílias com necessidades a vários níveis;

- Ao se reunir um grupo com mais de 20 alunos a atenção para as necessidades específicas de cada um não podem naturalmente ser tratadas com o rigor e atenção que se deseja, tendo em conta que existem crianças em adaptação a uma nova realidade escolar (com 2/3 anos) e outros já em preparação para ingressar no ensino básico;

- O facto de existirem crianças sinalizadas com problemas de vária ordem;
Para além de outras questões que poderíamos ainda referir, o que mais queremos realçar será sem qualquer sombra de dúvida o manifesto interesse em assegurar o bem-estar, segurança e estabilidade dos grupos os laços afectivos estabelecidos. Enfim, todos sabemos que o país enfrenta dificuldades económicas e que são necessárias reestruturações a vários níveis, mas mais uma vez, parece-nos que esta é muito mais uma questão de justiça social e de igualdade de oportunidades para com as crianças do concelho de Marvão, e que a perspectiva económica terá sempre que ficar para segundo plano.
(…)

Apenas mais uma chamada de atenção para os Encarregados de Educação das crianças das Escolas do Concelho: Sexta-feira são as eleições para a Associação de Pais. Entre as 9.30 e as 16.30 estará uma urna disponível na Casa da Cultura.

A lista é única e somos basicamente os mesmos, já que mais ninguém respondeu à chamada.
Será a Associação de Pais a conseguir travar este e outros problemas? Se calhar não, mas ao menos não nos limitamos a falar à boca pequena, nos corredores ,entre dentes, queixando-nos que ninguém faz nada…

Um comentário:

António Oliveira disse...

Nem de propósito! Este 'post', e em particular este último parágrafo, enquadram-se perfeitamente no comentário que coloquei num outro texto: a participação cívica, a cidadania e a Democracia não se esgotam nos partidos políticos (que são imprescindíveis e muito importantes). Podem e devem ser "vividas" e "construídas" nas mais variadas actividades quotidianas. Numa Associação de Pais de uma pequena Escola do interior, por exemplo...