segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Ainda os Ecos da Reunião de Câmara do dia 16/2/2011

Reflexão: Um líder que se preze deve partilhar as suas ideias e estratégias com os seus, ouvi-los, discutir, aceitar ou rejeitar contributos e, em última análise decidir. A partir daí o “decidido” será uma resolução do grupo, com solidariedade entre todos os membros, e o líder deve ser o mandatário dessa decisão, deixando na luta a pele pelo seu grupo, e ser o último a abandonar o “barco”…


Esta Reunião de Câmara há-de passar para a história como aquela em que foi vendida a Pensão D. Dinis. No entanto, e em minha opinião não foi a única coisa relevante que por lá se passou.

Após a debandada de todos os arrematadores, bem como da restante assistência, que não era pouca, mas que tinha mais que fazer, lá fiquei eu, e o amigo Zé Manuel Baltazar que por volta do meio-dia haveria também de ir à sua vida, deixando-me a mim como único assistente, daquilo que apelido como um entretimento contemplativo mais ou menos masoquista, pois ser um sujeito passivo, seja em que evento for, é algo que não se coaduna muito com a minha maneira de ser.

Há cerca de um ano que não assistia a uma reunião camarária, mas desta vez tinha uma certa curiosidade de assistir a dois dos pontos da agenda, que se prendia com:

- Atribuição de uma casa da Câmara a uma munícipe

- Cortes a efectuar durante o ano 2011 nos subsídios a atribuir às Associações do concelho, bem como a Festas Populares e outros Eventos Culturais.

No que toca à 1ª Proposta referente a atribuição da moradia, o Presidente fundamentou que a dita munícipe já ocupava uma casa da câmara, mas que devido a ter aumentado o seu agregado familiar, pretendia mudar para outra maior e que entretanto havia vagado.

A Vereadora Madalena, anunciou que iria votar contra porque a Câmara possui um Regulamento de Atribuição de Casas do Município (aprovado pelo actual Presidente) e que a dita munícipe deveria concorrer, e aplicando-se o Regulamento.

No entanto, para grande surpresa minha, o Presidente deu a entender que “este Regulamento" (assim como outros), não serviam para nada, e que noutras situações já se tinha feito o mesmo!!! E a proposta foi aprovada por maioria com os votos dos vereadores do PSD e do PS.

Pergunto eu que país é este, em que nem o que os próprios legislam aplicam, e fazem vista grossa decidindo com base na percepção do momento, ou de acordo com, por exemplo, a cor dos olhos, ou dos prováveis votos em eleições próximas, e isto à frente dos olhos de toda a gente?
Que irá fazer agora a vereadora Madalena?


Quanto à segunda proposta, a matéria é melindrosa, até porque as verbas já foram aprovadas pela Assembleia Municipal na sua última reunião, e tenho dúvidas sobre a legalidade desta deliberação camarária de “cortes cegos”, sem que o assunto volte novamente à AM.

Mas o que aqui me leva a escrever sobre este assunto, não é a questão de legalidade ou não, pois como todos sabemos, estas coisas jurídicas andam muito complicadas. O que quero aqui partilhar convosco, são estas coisas da Liderança e, mais concretamente, o “comportamento do líder”.

Confesso que já me havia sido apresentado o assunto num outro contexto e que já tinha manifestado a minha discordância (que não interessa agora aqui revelar, pois poderia ser eu o acusado de quebra de sigilo ou “solidariedade grupal”), mas o que assisti nesta Reunião Camarária, deixou-me estupefacto com o comportamento de “solidariedade inter-grupal” do proponente dos cortes nos subsídios associativos. Um espanto, que se conta assim em poucas palavras:

“A fundamentação da Proposta do Presidente para os referidos cortes, baseou-se, nos “cortes orçamentais” de 10% (resultantes do PEC e Orçamento da República), nas verbas referentes a receitas correntes, a transferidas pelo Governo Central para o município, que no caso de Marvão, terão de ser aproximadamente de 200 mil euros. Logo, havendo que cortar despesas, estas deveriam também recair nos subsídios a atribuir às Associações, Festas e Eventos Culturais!!!

Sendo assim, ele e os 2 Vereadores do PSD, propunham que se cortasse 10% aos subsídios monetários a atribuir às Associações do concelho, e se deixasse de atribuir, na totalidade, o subsidio habitual de 400 euros a todas as Festas Populares, e ainda cortes totais a outros Eventos Culturais.

A proposta apresentada começou logo por estar confusa e mal redigida, o que levou o Presidente a esclarecer, que era como acima escrevi. O que levou os 2 Vereadores da Oposição Nuno Lopes e Madalena Tavares a proferir que votariam contra, e que só votariam favoravelmente, se os cortes nas Festas Populares fossem também de 10% e não na sua totalidade.

Aí intervieram os 2 Vereadores do PSD: Luís Vitorino e José Manuel Pires, argumentando (de acordo com o decidido em grupo de vereadores do PSD), que os subsídios às Festas não se justificavam, porque a maioria delas davam lucros, e que não seria por 400 euros que qualquer Festa se não realizaria, e que iriam votar favoravelmente a proposta apresentada pelo Presidente.

Foi então que, de repente o Presidente líder, numa atitude isolada e sem consultar os vereadores que o apoiavam, resolveu aceitar a proposta dos Vereadores da Oposição e “mandar as urtigas” as fundamentações dos “seus”. Verbalizando para o Chefe de Secretaria que aceitava a Proposta da Oposição e não se falava mais nisso!...”

Que exemplo de Liderança e Democracia, digo eu! …

12 comentários:

Ilda disse...

Realmente os regulamentos servem só para alguns!
Há uns anos atrás pedi a Câmara Municipal para me deixar trocar de casa, ainda no tempo do PS, não me foi permitido trocar de casa, pois o casal que estava a pedir a casa que eu pedia só tinha um filho, mas podia vir a ter outro e depois ficava na mesma situação que eu, porque a casa que eu habitava tem 3 quartos mas um é muito pequeno só lá cabe uma cama pequena, e por isso não me deixaram trocar! Já no primeiro mandado do PSD voltou a vagar uma casa maior e eu volto a pedir troca de casa, e mais uma vez não foi aceite, porque não havia regulamento, fazem o dito regulamento, onde também não esta previsto a troca de casa, e onde diz que as casas passam a ser atribuídas por concurso. Entretanto fazem o concurso para a casa que eu tinha pedido troca, mas eu não concorri e foi atribuída, entretanto vaga outra casa, a pessoa que tinha ficado em segundo lugar do concurso troca para a casa que vagou sem concurso, eu vou a Câmara descontente com a situação mas de nada me valeu! Começam a desocupar a casa por cima da Caixa Geral de depósitos onde dantes estava o GTL, e eu volto a pedir para me deixarem trocar para essa casa, vai a reunião de Câmara mas votaram contra, porque a casa é mal empregue ser para arrendar, porque foi do antigo governador e devido as sacadas que a casa tem, etc etc, e porque acham que deviam de ter uma casa para emprestar aos artistas, e assim fica a casa do artista, e mais uma vez não me foi dada a oportunidade de trocar de casa. Mais vale ter uma casa fechada para emprestar a alguns artistas ou a quem interessa do que render 120,00€ por mês há Câmara Municipal.
Por estas coisas todas, Marvão acabou de perder 4 moradores !!!!

Dai disse...

Minha gente, o que o Municipio comparticipa é pouco e mal de nós associações se estamos à espera dele para fazer as festas...
O que peço é bom senso, não deixem morrer a cultura de um povo que está enraisado nos festejos anuais ao seu/sua Padroeira...
Falar das festas das nossas aldeias do concelho de Marvão, não é também falar do nosso Marvão?

Lamento mas tenho que perguntar:
- Se o subsidios para a realização das festas é de 400€(em 2010)pergunto: Onde estão os outros 100€ que não foram atribuidos às Festas em Honra de Nossa Senhora das Dores - Porto da Espada. A Associação Portus Gladii só foi contemplada com 300 €.
Será que o valor não estará errado?

joseph disse...

Tanta gente reclamando por tudo e por nada!É preciso bom senso e desinteresse, para se poder opinar por opinar.

João, disse...

Minha cara Adelaide, não sei que valores foram atribuídos a outras Festas, sei é que nos 2 anos (2009 e 2010), que participei na Organização do S. Marcos a verba atribuída, sem dúvidas, foi de 400 euros, e sempre ouvi dizer que era igual para todos…

Mas quem sabe, talvez seja pela “santidade” dos padroeiros! Mas eu sobre essas matérias não sei…

Mas alguém deveria explicar.

antoniojpotente disse...

Venho acompanhando este fórum faz tempo e tenho resistido a fazer algum comentário, mas na verdade que há coisas que me incentivam a fazê-lo.
De há muito que me apercebo da debandada de muitos que deram seu contributo para o mesmo e me pergunto qual o propósito da sua existência. Aqui se vê acima de tudo ataques pessoais, quer de ordem política, ou por motivos que não entendo, senão vejamos:
Talvez o único "sobrevivente", Senão pelo menos o que mais escreve, parece acometido de um sentimento de perseguição contra o Sr. Frutuoso e suas decisões enquanto presidente do Município de Marvão! Ele é ataque por tudo e por nada. O meu caro Sr. Enfermeiro, passou pela estrada que atravessa o campo de golfo e apenas conseguiu ver aquelas pedras arrastadas pela força da água para o asfalto? Então não viu uma estrada novinha em folha que apareceu no lugar de outra que de estrada nada tinha? Você não sabe que em tudo há sempre algo que escapa? Em vez da "malvada crítica, ter-lhe-ia ficado bem um reparo á obra, no sentido positivo e ao mesmo tempo aguardar pela solução do problema, que creio ser também preocupação dos responsáveis autárquicos, assim como do responsável pela fiscalização (Eng. Nuno Lopes), que seguramente tudo farão para que tudo fique bem.

antoniojpotente disse...

continuação...
É estranho que tanta coisa que por aí há para ver e comentar, o não faça sem ambiguidades.
Que lhe diz o Ninho de Empresas? Não será uma infra-estrutura de realçar positivamente? Acaso você não passou por Marvão e viu a reestruturação em curso na entrada da vila, tornando-a mais bonita? Já foi ao castelo verificar como as obras aí em curso dão mais beleza ao Castelo, nosso cartão de visitas aos turistas que por cá passam? Não reparou no edifício que está sendo restaurado à entrada da vila com destino ao futuro posto de turismo? Não passou pela Ponte Velha e reparou como aquela perigosa curva está sendo transformada numa passagem mais segura? Acaso não reparou ainda nos arranjos na Portagem entre a estrada nacional e o bairro? Por favor Sr. Enfermeiro!
Num destes dias fez o ataque pessoal ao Sr. Frutuoso por causa do salário dele e dos que compõem sua equipa. Será que o seu é mais justo? Qual o critério para tal conclusão?
Lembra ainda as críticas ao número de Eng. do Município? Qual deles despedia ou dispensava? Acaso sabe o que fazem na Câmara? Como se pode umas vezes criticar por causa dos licenciados não terem enquadramento profissional na autarquia e desgraçadamente os que têm são criticados na mesma. Lá diz o ditado, morto por ter cão ou por não ter.
Você até criticou a venda pública da pensão! Você é um aliado dos que dizem que a Câmara está mais pobre! mas que pobreza de espírito tal afirmação! Acaso quando foi comprado património como os lotes de terreno em Santo António, na Beirã, em S. Salvador ou aquela quinta na Portagem, ou ainda o terreno para a zona industrial, o lote para o quartel dos Bombeiros, todo o edifício do Ninho de Empresas, as garagens na entrada de Marvão assim como as obras de transformação das mesmas, etc, etc! Diga com sinceridade, isto é tornar nosso concelho mais pobre ou mais rico em termos patrimoniais? Porque nunca houve um comentário seu a tudo isto e a muitas mais coisas que se têm feito?
Será que lhe é desconhecido o empenho do actual Presidente, na vinda da Unidade de Cuidados Continuados e que além de contribuir para uma melhor resposta para os que sofrem de problemas de saúde, foi igualmente importante para os postos de trabalho que criou. Se tem dúvidas quanto ao benefício, pergunte aos que já por lá passaram enquanto doentes e aos que ali têm seu ganha-pão.

antoniojpotente disse...

continuação....
Você sabe que brevemente outro projecto na área do apoio social e humano em breve vai arrancar em Santo António, vindo seguramente a revelar-se uma mais-valia para nosso concelho e com a criação de pelo menos mais duas dezenas de postos de trabalho. Sabe quem é o entusiasta de tudo isto? O Sr. Frutuoso a quem você tanto ataca! Em vez de o criticar em coisas abstractas empenhe-se e faça alguma coisa pela sua terra, percebe?
Falar por falar, não chega caro amigo! Não pense que as pessoas andam por aqui dormindo enquanto você vai lançando m...., engana-se se assim pensa.
Você até fez um comentário incrível ao Sr. Frutuoso por causa dos apoios às festas! É do mais baixo que já vi! Acha que isso tem sentido? Será que quer por uns contra os outros com observações ridículas?
Hoje compreendo as dificuldades de relacionamento que sempre teve com médicos, enfermeiros e doentes, enquanto técnico de saúde por estas paragens. Pegou na roupinha e foi embora, mas mesmo lá longe continua perturbando nossas gentes.
Afinal você não faz parte da equipa do executivo? Parece que não! Nem a oposição ao sr. Frutuoso tem a coragem de se comportar tão baixamente.
Admiro a humildade do Sr. Presidente que teve a coragem de o colocar na sua equipa, quando muitos que bem o conhecem a si, o aconselharam a não fazê-lo. Não acha que há um fosso abismal de carácter entre você e a quem luta por denegrir? Você projecta nos outros " (seus alvos a abater)” sua personalidade deformada!
Faz tempo que apresentou aqui estatísticas quanto às vezes que "seu" fórum foi visto por esse mundo fora. Amigo, não se engane e pense que foi pelo que você escreveu que tantas vezes foi visto, mas sim porque ele tem lá uma coisa fantástica, que é seu nome, "MARVÃO" . Pena é que aqueles que deviam divulgar esta Maravilha, apenas dêem uma péssima imagem das gentes que por cá vivem.
Se o senhor não gosta da nossa terra, por favor não a trate mal, abstendo-se de comentários desfasados e destituídos de imparcialidade.
Sabe que há uma irmã gémea da sabedoria e que anda sempre de mãos dadas com ela? é a "querida" humildade. Adquira-a e será muito mais sensato.
já vi passar por esta Câmara quatro presidentes, todos diferentes, com qualidades e defeitos, aliás, apanágio de todos os humanos, mas todos eles merecem nosso carinho, porque deram o melhor de si mesmos, uns mais bem conseguidos do que outros, cabendo a cada munícipe fazer sua análise, esta é a minha.
Abraço com amizade!

João, disse...

Meu/minha caro(a) “antoniiojpotente”, enquanto visado no seu comentário, quero em primeiro lugar felicitá-lo por alguns dos assuntos que levanta, assim como algum “contraditório”, e que irei responder com seriedade e frontalidade, como sempre aqui o tenho feito

Creia que, apesar das suas críticas pessoais, algumas ferozes e não verídicas, quem sou eu para não as aceitar, se eu o tenho feito com outros. Lamento apenas a sua “encoberta entidade”, que não me deixa poder usar em igualdade, algumas críticas pessoais que faz a meu respeito.

Aí não somos iguais...

Mas saiba desde já que as terei em conta, e algumas, certamente, serão justas. Saiba ainda, que aos 50 anos estamos longe de nos considerarmos perfeitos, e desde já lhe digo que no que toca ao carácter, nomeadamente, a humildade, está completamente esganado (a).

Mas vamos ao que interessa, que são os conteúdos que o seu “comentário” contém, aos quais vou tentar responder ao que me parece mais importante:

1 – Saiba que a pessoa de Vítor Frutuoso não me move qualquer animosidade pessoal, enquanto pessoa tenho muito respeito por ele, e orgulho-me de ter estado ao seu lado em alguns momentos da sua vida, que sempre o respeitarei enquanto ele me respeitar a mim, e ele sabe disso. As minhas críticas e divergências são com a sua função, enquanto Presidente e Líder da autarquia do meu concelho, e disso lhe dou conhecimento com frontalidade, tanto aqui como em todos os órgãos que partilhamos. Nunca deixei de lhe dar a minha opinião sempre que solicitou, e garanto-lhe que muitas vezes a aceitou, sem nunca lhe ter pedido nada em troca. Não temos é que estar sempre de acordo, eu não sou nenhum “Carneirinho”, e penso pela minha cabeça.

João, disse...

(continuação)

2 – Quanto às minhas publicações não abordarem o que de positivo se faz no concelho, nomeadamente, o actual Executivo Camarário, saiba que ou anda muito desatento, ou chegou à pouca tempo, pois ninguém como eu tem divulgado aqui no Fórum o que se tem feito no concelho. O que aliás, tem valido a este espaço, algumas críticas contarias à sua, aqui lhe deixo uma Lista de 20 Post`s da minha autoria, de elogio ao consulado de Vítor Frutuoso:

- 27/9/2008: Visita da AM às Obras do concelho de Marvão
- 25/12/2008: O “contra-ataque”
- 14/4/2009: Vamos a contas
- 30/5/2009: Finalmente o PSD
- 15/6/2009: Até que enfim um Boletim Municipal
- 9/10/2009: Nem sempre os meios justificam os fins
- 12/10/2009: Glória aos vencedores e honra aos vencidos
- 30/12/2009: Orçamento de 8,3 milhões de euros para 2010
- 21/1/2010: Aí está a marca “Marvão”
- 4/3/2010: Pavilhão Desportivo no concelho de Marvão
- 16/6/2010: Ainda a “Coutada”
- 22/6/2010: Ainda o “Sr. Parque”
- 27/7/2010: Entrevista do Presidente ao DS
- 27/9/2010: A bola voltou a rolar no Campo dos Outeiro
- 26/10/2010: Dia da Inauguração
- 11/11/2010: Marvão campeão do não endividamento
- 24/11/2010: Uma ideia boa, ou uma boa ideia
- 1/2/2011: Sem palavras
- 4/2/2011: Notícias de Marvão e suas gentes

Como se pode constatar, não é pequena a lista das minhas publicações de elogio à Obra, e por isso não acho justa a sua crítica.

Mais, a semana passada, desfiei o Sr. Presidente a criar um “espaço” que desse conhecimento ao marvanenses das iniciativas do município, para contrapor às criticas, não as minhas mas da oposição..., Sabe o que ele me respondeu? Que não tinha quem! Talvez o meu amigo (a) pudesse fazer esse trabalho…
Todos nós agradeceríamos.

Saiba ainda, que há mais de 2 meses incitei na AM o Executivo a programar uma visita a todas as Obras que refere. Sabe a resposta? Ainda não houve tempo. Tenha a certeza que no dia em que se realizarem aqui serão divulgadas.

João, disse...

(continuação)

3 – Quanto ao conjunto de Obras a que se refere, elas estão aí e não podem ser ignoradas, há aquelas com que concordo e outra nem por isso. Serão todas imprescindíveis nos tempos de crise que atravessamos? É aqui que começam algumas das minhas divergências e críticas. Sobretudo porque têm custos, e alguém vai ter que as pagar. O “tal bom senso” que fala, aconselharia a alguma prudência.

Saiba que dos cerca de 10 milhões de euros que este Presidente (2006-2010) leva na construção dessas Obras: 5 milhões vieram do Orç. Geral do Estado (pagamos com impostos), 3 milhões vieram de Fundos Comunitários (pagamos com transferências), mas os outros 2 milhões resultam de empréstimos à Banca (vão pagar os marvanenses), o que me parece um valor muito significativo para o futuro e que os nossos filhos vão ter de pagar.

4 – Quanto aos ataques pessoais, não lhe vou responder, a não ser que tenha a coragem de os fazer sem ser debaixo do anonimato. E lamento dizer-lhe que estamos num país democrático, em que a diferença de opiniões deve servir para fazer avançar a sociedade.

Certamente o meu amigo (a), gostaria de outro regime, talvez gostasse de me ver atrás de grades, caladinho, mas por enquanto esse tempo ainda não chegou, e se chegar, o meu pai também por lá passou, e garanto-lhe que não foi por roubar nada a ninguém.

Por fim, quanto ao meu “marvanismo”, lamento informar que não fui para Marvão para desempenhar qualquer cargo político, ou que pousei aí de pára-quedas, tive a sorte de nascer lá, de aí me ter feito homem, e não vou desistir de intervir na minha terra.

João Bugalhão

Tiago Pereira disse...

Caro(a) Dr(a) Goebbels,

É a primeira vez que tomo esta atitude, a de replicar a comentários anónimos, mas valores mais altos se levantam.

Esses ataques pessoais, mesquinhos, sem escrúpulos só poderiam vir de alguém que tem muito interesse, muito a ganhar €ntenda-se, com a permanência do Sr. Vítor Frutoso no poleiro. Isto porque não encontro outra explicação para a motivação dos seus comentários.

Questionar a imparcialidade dos comentários do João Bugalhão é mesmo de alguém que só há pouco tempo chegou a este espaço, ou então alguém que recebeu uma encomenda para aqui escrever.

Não seria necessário isto, mas desde que acompanho este espaço, e sou colaborador do mesmo, nunca vi ninguém ser tão isento e objectivo como o João Bugalhão e o Fernando Bonito. Por isso errou no alvo…

E se fosse só eu que fizesse a gestão de conteúdos do site, comentários anónimos não tinham aqui lugar. A cobardia mete-me NOJO.

Boa tarde

Gilberto Gil disse...

Curioso, muito mesmo, por saber quem é interveniente destes comentários de apoio ao Sr. Presidente… A ver se o interveniente misterioso nos responde, se sabe quando é concluída essa obra da curva na Ponte Velha, ou se realmente se justifica estes investimentos em obras, neste momento em que estamos a pagar tão caro pelas inconsciências dos governantes?! E outra, ele que me venha dizer a mim se destruir uma calçada com aproximadamente 500 anos tem lógica? Esse menino não deve ter estado em Marvão na altura das obras de requalificação! Deve é ter cheirado 280.000 Euros fresquinhos para alimentar algum “tacho”! Peço desculpa pela agressividade das minhas palavras mas estou FARTO!!!